Viajante Sou
Rio Grande do Sul

Templo budista em Três Coroas/RS: conheça o Khadro Ling

Quem viaja ao Rio Grande do Sul pode esperar encontrar belas paisagens, uma gastronomia diversificada e muita história. Perto das turísticas Gramado e Canela, mais precisamente em Três Coroas, encontra-se o templo budista Chagdud Gonpa Khadro Ling.

Templo Budista Khadro Ling
Templo Budista Khadro Ling

O Budismo não é apenas uma religião, mas também uma filosofia. Fundado por Sidarta Gautama, o Buda, acredita-se que o caminho para a libertação está na consciência, alcançada por práticas espirituais, como a meditação, por exemplo.

No templo budista de Três Coroas, sede sul-americana de uma rede de Centros de Budismos Tibetano Vajraiana, fundada por Chagdud Tulku Rinpoche em 1995, o visitante não só vai encontrar belas construções tibetanas ali presentes, mas como experimentar sensações que levará para o resto da vida. Dizem que, quem o visita e guarda na memória sua bela estrutura, será abençoado pelas orações da comunidade de praticantes do budismo que mora no templo budista Khadro Ling.

Atrações do templo budista em Três Coroas

Logo que se chega ao templo budista é possível ver quase todas as construções. Construído em 1997, o templo é um deleite para os olhos. O local abriga representações do corpo, da fala e da mente de Buda, adornado com estátuas, textos sagrados e pinturas tradicionais. Para entrar no templo é imprescindível tirar os sapatos, chapéus/bonés e desligar o celular. No altar principal é possível ver centenas de tigelas de água, que servem como treinamento para os ensinamentos budistas. Detalhe importante: o interior do templo não pode ser fotografado e, caso as orações já tenham começado, não será possível ter acesso ao mesmo. É bom chegar cedo.

Templo Budista Khadro Ling
Foto: Chagdud Gonpa Khadro Ling

As Rodas de Orações são cilindros mecânicos preenchidos com vários mantras, que emitem um som de sino. Ao serem giradas, é como se as orações fossem recitadas e suas bênçãos espalhadas para todas as direções.

Templo Budista Khadro Ling
Rodas de Orações

Outra atração que chama a atenção, muito pelo seu visual colorido e sua simplicidade, são as Bandeiras de Orações. Nelas, vários mantras também estão impressos e, quando elas são tocadas pelo vento, levam as energias positivas para todos os seres.

Templo Budista Khadro Ling
Bandeiras de Orações

No Jardim das 21 Taras (o Buda feminino ou Salvadora Veloz), que abriga estátuas de pedra, todas esculpidas na Índia, você verá algumas doações feitas pelos visitantes. Cada Tara tem um significado, e textos ajudam a explicar o que cada uma faz especificamente para proteger e beneficiar os seres. Leia tudo e sinta-se à vontade para doar qualquer valor na Tara que mais lhe interessar. Ainda nesse local, é possível ter uma vista magnífica da serra mais abaixo. Vale muito tirar uma foto também da paisagem.

As Estupas podem ser vistas desde o estacionamento; elas simbolizam a mente iluminada. Cada uma das oito Estupas presentes representa a uma passagem da vida do Buda. O caminho a ser percorrido por elas deve ser no sentido horário (há flechas de indicação pintadas no piso) e, a cada estupa, segundo a tradição, você receberá uma bênção.

Templo Budista Khadro Ling
Estupas

Logo acima das Estupas está a estátua do Buda Akshobia, o buda que faz a aspiração de proteger os seres da negatividade intensa que surge da raiva. A estátua fora esculpida pelo próprio Chagdud Tulku Rinpoche e seus alunos. Os detalhes e a grandeza do monumento são impressionantes.

Templo Budista Khadro Ling
Buda Akshobia

Além de tudo isso, há centenas de lamparinas que podem ser acesas na Casa das Lamparinas. Cada uma delas é uma oferenda de luz feita com a intenção de dissipar o sofrimento e a escuridão de todos os seres. É possível participar dessa oferenda, que é diária, inclusive determinar um número “x” de lamparinas destinadas a você ou a alguém em especial. O preço de cada lamparina, na época em que visitamos, era de R$ 2,50. Importante: essa doação deve ser feita antes, via depósito bancário, já informando o número de lamparinas, quantos dias e o nome das pessoas a serem beneficiadas. Para mais informações, clique aqui.

Templo Budista Khadro Ling
Foto: Pedro Rocha

Andando um pouco mais pelo terreno, você vai encontrar a Terra Pura de Guru Rinpoche, a Gloriosa Montanha Cor de Cobra, uma réplica do palácio e da terra pura de Guru Rinpoche, um lugar em nosso mundo que nos lembra dos reinos que estão além do sofrimento. Os três andares da construção abrigam diferentes imagens de Guru Rinpoche e outros seres ditos iluminados. No primeiro andar, que é acessível ao público, há uma estupa que abriga as cinzas de Chagdud Tulku Rinpoche, além de diversas outras imagens.

Templo Budista Khadro Ling
Terra Pura de Guru Rinpoche

Por fim, há uma pequena loja no terreno, onde o interessado pode adquirir, principalmente, roupas feitas pelos próprios moradores do local, além de outros souvenires.

Dicas sobre o templo budista

É proibido fumar em todo o local, tanto nas áreas internas quanto externas. Também não é possível fazer piquenique. A visitação com carros de passeio é gratuita e não há necessidade de agendamento. Caso vá de van, ônibus ou micro-ônibus, será cobrada uma taxa de manutenção e limpeza no valor de R$ 50,00 por veículo. Esse valor deve ser pago na recepção do centro budista, no dia da visitação.

Outras informações relevantes:

  • Procure manter o silêncio durante a visitação;
  • É proibido subir nos monumentos sagrados e nas muretas;
  • Não é permitida a entrada a pé ao tempo;
  • Não é permitido o uso de drones;
  • Tente chegar cedo, caso contrário, poderá pegar uma longa fila;
  • O estacionamento é limitado a 150 veículos.

Como chegar ao templo budista em Três Coroas

O templo budista fica na Estrada Linha Águas Brancas, número 1.211, em Três Coroas/RS. Importante: as estradas de serra são bem estreitas e cheias de curvas sinuosas. Portanto, vá devagar e com tranquilidade. Há placas informando o local exato da entrada do tempo; durante esse trajeto até a entrada há um trecho de estrada de chão. Opte por ir em dias ensolarados.

Distância de:

  • Gramado/RS: 32 km;
  • Caxias do Sul/RS: 96 km;
  • Florianópolis/SC: 429 km;
  • Curitiba/PR: 709 km;
  • São Paulo/SP: 1.111 km;
  • Rio de Janeiro: 1.537 km.

Melhor época para visitar o templo budista Khadro Ling

Definitivamente a melhor época para se visitar a Serra Gaúcha é no inverno, isso para quem busca sentir aquele friozinho. Tenha em mente que, devido a essa procura, provavelmente você encontrará uma longa fila para o templo (foi o que aconteceu conosco; perdemos cerca de 30 minutos até entrarmos). O estacionamento é limitado, então a organização libera a entrada apenas quando o pessoal for saindo. Para quem quer evitar longas filas, evite os meses de maio, junho, julho e agosto.

Horário de funcionamento

  • Segunda-feira e terça-feira: fechado para visitação;
  • Quarta-feira, quinta-feira e sexta-feira: 09h30 às 11h30 e 14h às 17h;
  • Fins de semana e feriados: 09h às 16h30;
  • Meditação aberta ao público todos os domingos às 09h15 (ligar antes para confirmar).

Serviço – Templo budista em Três Coroas/RS

Foto principal: Pedro Henrique Noal Astolfi

Posts Relacionados

Cascata do Caracol em Canela/RS: vale a pena visitar?

Rodrigo

Cascata do Chuvisqueiro: tudo que você precisa saber!

Igor

Parque Aldeia do Imigrante em Nova Petrópolis/RS: uma volta ao passado

Rodrigo

Deixe um comentário